Acupuntura

O tratamento acupunterápico consiste no diagnóstico e na aplicação de agulhas em pontos definidos do corpo, para obter diferentes efeitos terapêuticos conforme o caso tratado.

O que é?

É uma das terapias orientais mais populares em diversos países e tem sido amplamente utilizada na assistência à saúde, nos aspectos preventivos e curativos. O tratamento acupunterápico consiste no diagnóstico e na aplicação de agulhas em pontos definidos do corpo, para obter diferentes efeitos terapêuticos conforme o caso tratado.

História

A história da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) teve origem na antiguidade a mais de cinco mil anos atrás quando os chineses começaram a aquecer com fogo e brasa certos áreas álgicas do corpo. Posteriormente utilizaram as primeiras agulhas feitas de lascas de pedra e espinha de peixe em determinados pontos do corpo e foram obtendo curas para várias disfunções ou doenças. Com o passar dos anos foram aperfeiçoando a forma de tratamento até chegar nas agulhas de ouro e prata.

Ao longo do curso da história muitas lutas foram travadas para impedir a prática da Medicina Chinesa inclusive na China, em decorrência da disputa pelo poder. Após essa fase crítica e muito difícil para a cultura chinesa, os seus conhecimentos de cura foram difundidos para alguns outros países, dentre eles a França, que teve grande influência na MTC. Infelizmente essa luta pelo poder sob a acupuntura se estende até os dias de hoje em muitos países.

Medicina Tradicional Chinesa (MTC)

A medicina Chinesa não está restrita a acupuntura, mas a um conjunto de ferramentas poderosas que juntas proporcionam um leque de tratamento capaz de devolver ao paciente a cura. Dentre elas estão, além da acupuntura, moxaterapia, vetosaterapia, técnicas com sangria, exercícios terapêuticos chineses como o Qi Gong, Tai Chi, massagem terapêutica chinesa conhecida como Tui Ná, dietoterapia e fitoterapia chinesa.

Como qualquer outro sistema de medicina, a MTC está predominantemente voltada a compreender e aliviar o sofrimento físico, psicológico, emocional e além deles, as disfunções mais sutis do sistema energéticos. Para isso é utilizado um diagnóstico minucioso envolvendo anamnese, palpação, observação, pulso, língua, cor da face, tom da voz, emoções, estado interno, expressão externa, entre outros.

Como Funciona

De acordo com a MTC, a ação da acupuntura fundamenta-se nas noções do fluxo de Qi (Energia), no sistema de Órgãos e Vísceras da Medicina Tradicional Chinesa e nos canais de Energia. Esse complexo, que tem sua formação iniciada na vida uterina, é considerado em uma concepção de mundo que se baseia no equilíbrio yin-yang e nos cinco movimentos. No ser humano, matéria e energia, corpo e mente estão intimamente ligados e interagindo, e são fundamentais para a manutenção da vida e das funções do indivíduo nos aspectos psico-físicos. A preservação da saúde e a condição de vida do homem são determinadas pela atuação harmoniosa desses aspectos entre si e em equilíbrio com o meio em que vive.

Todas as estruturas e funções do organismo encontram-se originalmente em equilíbrio pela atuação das energias yin e yang, que são opostas e complementares de todas as manifestações da natureza. Yin e yang representam, respectivamente, os aspectos negativo e positivo, profundo e superficial, frio e calor, deficiência e excesso, massa e energia em constante inter-relação, no sentido de manter o equilíbrio e a harmonia de corpo-mente-espírito do indivíduo, que pode ser entendido como um modo de um ser humano sentir-se ligado ao cosmo como um todo, em uma concepção integral.

A Acupuntura é a técnica de inserir agulhas em pontos específicos nos canais de meridianos do corpo. A inserção da agulha de acupuntura promove a circulação do fluxo do Qi (Energia) e do Xue (sangue), o fortalecimento da energia dos Órgão e Vísceras, dos Canais de Energia e Colaterais, além da expulsão de Energias Perversas que possam agredir o indivíduo. Dessa forma é possível introduzir, mobilizar e fazer circular todos esses aspectos contribuindo para a harmonização e equilíbrio das estruturas relacionadas e da pessoa como um todo.

Do ponto de vista científico existem evidências da participação do sistema nervoso central (SNC) e periférico, com a intermediação de substâncias como neurotransmissores e hormônios liberados ou que se tornam mais efetivos com a aplicação das agulhas de acupuntura. Através dessa liberação de neurotransmissores específicos nas sinapses, inibe-se ou excita-se estímulos, desencadeando, assim, respostas no corpo.

Entendendo o QI (Energia)

O conceito de Qi (Energia) na Medicina Tradicional Chinesa é muito mais amplo. A palavra Qi significa “gás” ou “éter” e era utilizada pelos chineses antigos como uma referência ao sopro vital ou à energia que anima o cosmos, um todo contínuo, sendo a matéria uma condensação do Qi dependente de uma alternância rítmica Yang/Yin. Nessa concepção, o Qi é tudo e tudo é Qi. O Qi está relacionado a tudo o que existe na natureza, incluindo o ser humano. Também no conceito que se pode aprender dos antigos chineses, o Qi está em toda parte e não é segmentado, ou seja, o Qi do corpo do indivíduo é uno com o Qi da Terra, do Céu e de todas as manifestações da natureza, ou seja, com o Qi universal. Se, em um primeiro momento, essa concepção intuitiva de Qi pode parecer mística, é possível perceber que é próxima da teoria moderna da física quântica. Nas duas visões existe a concepção do todo contínuo.

MTC e Física Quântica

A concepção da física quântica científica é racional, enquanto a visão chinesa antiga é intuitiva. São visões que não se opõem, mas se complementam, representando aspectos que compõem a consciência do ser humano sobre uma compreensão mais abrangente do mundo. A abordagem holística do modo de ação da acupuntura trazida pela MTC, é compatível com a visão da física quântica. Assim, o que faz circular o Qi (Energia) e realizar as correções de excesso ou deficiência e de desequilíbrio Yin-Yang não é apenas a agulha de acupuntura, mas toda uma interação do paciente com o meio, do acupunturista com o paciente e de ambos com a cultura, a ciência, a espiritualidade, os costumes e com todas as relações possíveis e pertinentes que possam fluir o Qi direta ou indiretamente na aplicação da agulha de acupuntura.

Adoecimento

Quando o Qi (“energia”) das pessoas se torna deficiente ou excessivo dentro de seu sistema interno ou “elementos” ocorrem mudanças em vários aspectos do corpo físico, bem como na mente e no espírito. (Nei Jing).

O conceito de adoecimento é muito divergente entre a medicina oriental e ocidental. Para nós da Medicina Chinesa, é possível detectar um fator de adoecimento muito antes de ser acusado num exame ou ser visto manifestado num órgão específico. Sintomas como dificuldades para dormir, boca seca, falta de sede, ansiedade, alteração de humor, cólicas ou problemas menstruais, constipação, cansaço, desânimo ou outros sinais e sintomas “comuns” já é estado de adoecimento e pode (e deve) ser tratado como tal. Quando esses fatores não são tratados, o estado de adoecimento vai se aprofundando e envolvendo mais sistemas internos que posteriormente culminará nas doenças conhecidas aqui no ocidente. A grande e maior parte delas originam-se no campo mental, emocional e espiritual. De acordo com o clássico da MTC, “para fazer com que a acupuntura seja perfeita e eficaz, deve-se primeiro curar o espírito” (Su Wen, cap. 25; Veith 1972).

Cura

O tratamento só é considerado como totalmente bem sucedido se os pacientes relatarem uma melhora a respeito de como eles “sentem-se consigo mesmos”, além da melhora nos sinais e sintomas. (Hicks e Mole, 2007). Sendo assim, “é necessário o equilíbrio e harmonia entre o céu e a terra” (Nei Jing). Devemos entender o significado de encontrar o “caminho do meio” tão aconselhado por antigos sábios. É nesse caminho que se encontra a saúde, a cura e a manutenção da saúde. Pois, na visão da MTC, a saúde não se restringe ao campo de manifestação física, mas abrange um contexto mais profundo, recheado de beleza e sabedoria que envolve, também, o espírito, a mente e as emoções. O campo físico é o veículo de manifestação das desarmonias desses outros campos. Podemos comparar como sendo a ponta de um Iceberg. Por essa razão, na grande maioria das vezes, quando se toma um medicamento para resolver a ponta final da manifestação de uma desarmonia ou doença e veda a saída de aviso do que está acontecendo dentro do corpo, a doença se aprofunda e se cronifica. O ser humano é tratado na MTC de forma integral e individual, onde uma simples dor de cabeça, por exemplo, é tratada de forma diferente em cada um.

Por isso, não existe cura sem a vontade e participação direta do paciente. Isso é de extrema importância na terapia. A verdadeira cura se processa de dentro para fora e essa consciência deve estar clara para quem busca um tratamento dentro da filosofia oriental. O terapeuta acupunturista é parte do processo de cura. Podemos dizer que é um instrumento, uma ferramenta que dará um enorme suporte proporcionando o contexto ideal e facilitando o reencontro com a cura do paciente. Essa consciência, afeta diretamente a forma com que se responde a um tratamento por acupuntura e seus resultados terão uma relação direta com os níveis de consciência tanto do profissional quanto do paciente (Sankey, 2006). Essa é uma das causas da acupuntura ter resultados com alguns pacientes mais que com outros. A percepção e preparo do profissional, a interação e confiança que ele estabelece com o paciente é determinante no processo de cura.

A Importância do Profissional

A individualidade do acupunturista tem um efeito enorme sobre a eficácia do tratamento com acupuntura (Hicks e Mole, 2007). O desenvolvimento interno do acupunturista o torna capaz de atingir os níveis de percepção e profundidade da relação médico-paciente necessários no tratamento. Obtendo uma postura de não julgamento perante o paciente, aliada a uma atitude pura de compaixão e acolhimento e uma sincera vontade de ajudar maximizando a relação médico-paciente. O acupunturista deve estar com a mente concentrada e atenta em cada punção com as agulhas, cultivando a acuidade sensorial e a intuição sobre as emoções do paciente, unido com o adequado e crescente preparo profissional. Esses cuidados com o paciente são partes integrais do processo de cura.

Adotando uma visão abrangente da Acupuntura, entende-se que a ação da agulha no ponto de Acupuntura não está isolada da mão do acupunturista que a insere, do seu conhecimento técnico e científico, da pessoa do acupunturista, do paciente, do ambiente imediatamente relacionado ao acupunturista e ao paciente e do ambiente físico e sociocultural de ambos, bem como de fatores objetivos e subjetivos mais amplos. O modo de ação da Acupuntura é compreendido, dessa forma, como resultante da inter-relação do acupunturista com o paciente e do binômio acupunturista-paciente com as dimensões física, biológica, mental e sociocultural.

Ficou interessado? Quer mais informações? Preencha os dados abaixo que entraremos em contato.
Consultório:
Avenida Luis Tarquínio Pontes. Empresarial Villas Trade, Bl III, Sala 107. Lauro de Freitas - BA
+55 (71) 98 801 7682
2019. Francine Ribeiro. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital